Por que temos tanto medo de fracassar?

Se você resolveu parar um minutinho para ler este texto, imaginando que eu daria explicações sobre o porquê de termos tanto mesmo de fracassar, tenho que te dizer que na realidade o objetivo do artigo é outro. Na verdade, o que nós temos não é medo do fracasso, mas sim, medo de imaginarmos que tudo poderá dar muito certo.

Se você resolveu parar um minutinho para ler este texto, imaginando que eu daria explicações sobre o porquê de termos tanto mesmo de fracassar, tenho que te dizer que na realidade o objetivo do artigo é outro. Na verdade, o que nós temos não é medo do fracasso, mas sim, medo de imaginarmos que tudo poderá dar muito certo.

Certa vez Nelson Mandela disse que “nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta”. E a grande razão disso é não conseguirmos assumir que somos seres especiais, talvez por puro medo de parecermos arrogantes ou superiores. Muitas vezes não nos vemos como merecedores das nossas vitórias, muito embora tenhamos lutado por todas elas.

Não seria essa mentalidade, então, uma forma de fracasso? Quando o medo de brilhar fala mais alto acabamos ficando na estaca zero. Não temos iniciativa suficiente para seguir adiante e sair da nossa zona de conforto. E daí eu te pergunto: Você tem certeza que quer se sentir fracassado?

Quando você abandona seus sonhos e desejos por medo, ou por achar que não é capaz de realizá-los ou até mesmo porque não merece todas as coisas boas que podem acontecer, você está dando as costas para o universo e com isso bloqueando todas as respostas positivas que ele tem para te dar. E olha, chega uma hora que  o próprio universo vai acabar desistindo de você também!

Então, da próxima vez em que você se perguntar quem é você para merecer ser tão brilhante, querido, bem sucedido, pare e mude o questionamento. Ao invés disso, como o próprio Mandela também recomenda, pergunte quem é você para não merecer isso.

Aceitar e ser grato a tudo o que temos não significa soberba, mas sim a maior prova de amor próprio que podemos dar a nós mesmos!

 

Brilhe e veja o quanto a sua luz tem o poder de iluminar quem também está à sua volta!